sábado, 23 de fevereiro de 2008

Carta a mim mesmo

Caro amigo,
Tenho o grato prazer de lhe comunicar que a sua Inspiração partiu de viagem.
Saiu logo que a manhã se levantou, acompanhada de uma mala cheia de livros e algumas mudas de roupa.
Pediu-me para lhe avisar, que se demorará pela capital “Denãofazerputo”, uma vez que ficou de se encontrar com a Vaidade e a Presunção.
A Fama, ficou de lá ir ter mais tarde, não sendo certo que o Reconhecimento apareça, uma vez que anda muito ocupado.
Pede-lhe a Inspiração que olhe pelos meninos: Criação e Arte, o melhor que puder.
Há poemas no congelador, duas latas de textos por abrir, e uns restos de uma crónica para serem aquecidos.
A Criação tem que tomar o xarope para a garganta, pois tosse muito de noite. A Arte sabe a medida, não se preocupe…
Não deixe as meninas ficarem acordadas até muito tarde, que têm a mania de escrever nos sites da Internet, e vigie por favor os seus excessos em endereços menos próprios, que estão, como sabe, na idade difícil da adolescência.
Sem mais de momento, saiba que na ausência de sua amada esposa, poderá contar comigo para aquilo que necessitar.
Não hesite em chamar-me, caso a tarefa se revele demasiado penosa para si.

Sempre ao seu dispor,
A sua amiga de sempre
Esperança.

4 comentários:

Paulo Afonso disse...

Caro Amigo José
Hoje, mais uma vez, visitei a tua casa.
Mas hoje, afastei o silêncio para repetir as palavras que tu mereces.
A tua criatividade não tem limites e esse facto faz de ti uma pessoa riquíssima pois consegues aliar esse facto com uma escrita apaixonante.
Parabéns
Abraço

PS.: Ainda não tinha dito, mas tens uma casa excelente!

belakbrilha disse...

Olá!

Parece que alguém também pegou essa mesma viagem para a capital de "nãofazerputo"...pois a inspiração também partiu!

gostei!

bjs

Poesia Portuguesa disse...

ahahahah... que grande inspiração para escrever este texto!

E dizes que "ela" foi de...

eheheh


Bem... não quero contrariar, por isso voltarei outro dia.

Bj
;))

Sandra disse...

Seu espaço poético tem seu lugar especial no meu.
Abraço na poesia.